Escolha uma Página

O primeiro autógrafo a gente nunca esquece. É como se concretizasse todo o esforço que foi dedicado para tornar o sonho de escrever um livro realidade em alguns movimentos da mão. Como é um momento bastante emocionante para o autor novato, é recomendável treinar um pouquinho em casa antes de enfrentar as ondas de alegria que fazem as mãos tremerem e a mente travar.

 
Passo-a-passo para autografar um livro
1 – Em qual página escrevo a dedicatória? Abra o livro na primeira página – a chamada falsa folha de rosto, aquela primeiríssima mesmo com o título da obra. É aí que você vai escrever. Não é um regra, mas é a página mais usual para conter o autógrafo. Se o seu livro não tiver falsa folha de rosto ou você quiser escolher outra, prefira sempre uma das primeiras páginas ou a contracapa – sempre da frente.
Autógrafo de Monteiro Lobato: o autor preferia a falsa folha de rosto, ou seja, a primeira página do livro. Escolhia o canto esquerdo superior e apenas colocava o nome do leitor, sua assinatura e a data.

2 – Em qual local da página escrevo? Onde você quiser! Pode ser na parte superior, inferior… na lateral fica um pouco apertado, mas vai depender da sua criatividade.

José Saramago escrevia centralizado, neste caso incluiu o título da obra na dedicatória, por último assinava, colocava a data e o local.

3 – O que escrever? Há várias opções: alguns autores escrevem o nome do leitor, uma dedicatória, depois assinam e colocam a data (o mais completo). Outros colocam o nome do leitor, assinam e colocam a data ou apenas assinam, sem dedicatória.
O bacana de colocar dedicatória é que fica mais personalizado para o leitor.

J.K. Howling faz dedicatória e depois assina, sem data.

4 – O que escrever na parte da dedicatória? É padrão escrever:
“Para (o nome do leitor – fica mais fácil somente o primeiro nome, nomes completos precisam ser soletrados e a fila de autógrafos começa a ficar com dor nas pernas).

Em seguida,  deixe uma mensagem (pode ser algo padrão para todos ou especial para aquele leitor que você já conhece).

Ruth Rocha: exemplo de autógrafo com dedicatória bem simples.

5 – Devo colocar símbolos (coraçãozinho, estrelinha) ou desenhos? Aí é contigo: depende da sua personalidade e do seu público. Tem a ver com você? Tem a ver com o seu estilo de escrita? O seu leitor irá gostar? Questione-se para descobrir se vai combinar com a sua dedicatória.

6 – Posso deixar os autógrafos prontos?  Sim, mas apenas nos casos em que o autor precisa deixar vários livros já autografados sem saber para quem irão, como em promoções de sites e livrarias em que os exemplares precisam ser enviados antes do resultado dos sorteios/ vendas. O que não vale é carimbar ou deixar impresso!
O carinho de algo escrito por próprio punho é insubstituível. E se for autografar na hora, nada de levar autógrafos já prontos: é um momento mágico para o leitor ver seu autor preferido escrevendo para ele!

Bom autógrafo!

Juliana Maringoni